IVAS - Instituto das Vias Aéreas
Inspirando novos ares!
  • DICAS DE PREVENÇÃO

    POLISSONOGRAFIA,  VOCÊ SABE O QUE É?
    POLISSONOGRAFIA, VOCÊ SABE O QUE É?

    A Polissonografia é um exame que avalia o padrão habitual do sono do paciente. O exame consiste no registro simultâneo de atividades do organismo durante a noite, tais como: atividade cerebral (eletroencefalograma), movimento dos olhos (eletro-culograma), atividade dos músculos (eletromiograma), respiração, oximetria, ronco e posição corpórea. Este exame é feito com aparelhos digitalizados, que permitem uma precisa aquisição de dados e análise do sono do paciente durante a noite por meio de eletrodos na superfície do corpo, de maneira não-invasiva. A acomodação é em uma suíte individual, com monitoramento de uma enfermeira.

     

    Para que serve?

     

    Para investigar possíveis distúrbios do sono. Geralmente é solicitado quando há sintomas como sonolência diurna excessiva, distúrbios respiratórios como roncos e apneia, alterações do ritmo cardíaco e síndrome das pernas inquietas. A polissonografia também flagra doenças como insônia, sonambulismo, bruxismo, terror noturno, narcolepsia e pode ser útil até no diagnóstico de fibromialgia.

     

    Polissonografia Domiciliar

     

    A Clínica Ivas possibilita que a polissonografia seja realizada em casa, para um maior conforto ao paciente. Com a ajuda de aparelhos portáteis é possível obter análises específicas e completas. Porém é necessário que o paciente siga orientações para que não haja alterações nos resultados.

     

    APNÉIA OBSTRUTIVA DO SONO

     

    A Síndrome da Apnéia do Sono (SAOS) é um distúrbio do sono potencialmente grave em que a pessoa para de respirar, por alguns segundos, diversas vezes durante a noite. Pessoas com apnéia obstrutiva do sono (AOS) podem, inclusive, não estar cientes de que têm o problema. De acordo com dados do Ministério da Saúde, cerca de 50% da população brasileira se queixa de qualidade de sono ruím e cerca de 30% da população adulta sofre de apnéia do sono.

     

    A AOS comumente ocorre quando os músculos da garganta relaxam durante o sono e as vias respiratórias se fecham, o que interfere e impede a respiração adequada. Isto pode reduzir drasticamente o nível de oxigênio no sangue, ocasionando despertares breves do sono - em que as vias respiratórias reabrem e permitem que a respiração volte ao normal. Esse problema, no entanto, se repete inúmeras vezes ao longo da noite e pode causar sérias complicações como alterações do humor (Ansiedade e Depressão), doenças cardiovasculares (HAS, AVC, IAM), Síndrome Metabólica, Cefaléia, Disfunção erétil entre outros. Durante a apnéia obstrutiva do sono, a pessoa pode produzir um ronco ou um som semelhante ao sufocamento, e o sono irregular impede a mesma de alcançar o sono profundo, fazendo-a se sentir sonolenta durante o dia.

     

    Situações como obesidade, aumento das amígdalas, circunferência do pescoço e alterações craniofaciais, podem levar à apnéia do sono.

     

    Além do relato das pessoas que convivem com os portadores da apnéia do sono, a avaliação médica e a polissonografia, exame para mapear o comportamento durante o sono, são dados importantes para fechar o diagnóstico.

     

    A aplicação do Questionário Clínico de Berlin e da Escala de Sonolência de Epworth ajuda a identificar pessoas com risco de serem portadoras de SAOS.


    Publicado em: 21/08/2018